Boletim

OUR LADY of FATIMA PARISH

 

588 Division Street,Kingston,ON, K7k 4B6

Telefone: 1 315 370 1356 (sacerdote).

www.fatimakingston.com

A Colecta do Domingo:

28 e 29 Março 2015: 1170,00.

 

Festa de Carnaval, organizada pela Comissão do Divino Espirito santo rendeu: 7,588.70

 

Obrigado a todos   

ANIV. de FALECIMENTO : 06 a 12 de Abril de 2015 :

 

† Victoriano Ponte ;

† 1990 Walter de sousa Rabaça;

† 1991 José Moniz;

† 1992 Evelina da Costa;

† 1996 Fernando Monte Raposo;

† 1998 Albina Clementina;

 

† 1999 Linda de Fátima Pacheco;

† 2000 Manuel Augusto Viveiros;

† 2001 Rita Medeiros do Couto;

† 2009 Maria Cordeiro Carquez;

† 2010 Manuel Lopes Neves;

† 2012 Maria Lurdes Faria;

 

rezaremos por eles na Eucaristia das 10am, no dia 12.04.2015   

 

Sb – 5.30 pm = Eucaristia

 

††Domingo: 12. 04.2015 :

10 am = Eucaristia ! 2o Domingo de Páscoa! 1ª Dominga

 

# Semana: 13 a 19 de Abril de 2015

2f – 7 pm = Eucaristia

3f – 7 pm = Eucaristia

4f - 4,45 am- Ensaio de canticos crianças, para festa de Nossa senhora!

4f - 7pm = Eucaristia

5f - 7 pm = Eucaristia ; Ensaio de Canticos

6f - 8.30 pm: Eucaristia; Adoração 9 am – meia noite

6f – 7pm: 7º dia : MARIA de LOURDES FERREIRA

 

Sábado 18 de Abril de 2015:

5.30 pm = 7º dia: OLGA MARIA REBELO

 

Domingo 19 de Abril de 2015

10 am – 3º Domindo da Páscoa. 2ª Dominga

 

 

ANIV. de FALECIMENTO : 13 a 19 de Abril de 2015 :

† 1985 Hermano Ferreira Couto;

† 1991 Benvida Matias;

† 1993 José Junior Carvalho;

† 1996 Elvira Raposo Freitas;

† 1997 Maria do Rosário Cordeiro Grilo;

† 2004 Nuno de Melo Lindo;

† 2010 Mariano Couto Carquez;

 

rezaremos por eles na Eucaristia das 10am, no dia 19.04.2015 

Festa da Divina Misericórdia

 

A Festa da Divina Misericórdia que
ocorre no segundo domingo da Páscoa, estabelecida
oficialmente como festa universal pelo Papa João Paulo II.

 

O 2º Domingo da Páscoa: Conhecido como Domingo da Misericórdia, pela compaixão de Jesus com São Tomé, que não acreditava em palavras, e sim “somente vendo”. Vendo a Jesus, veio a crer na Sua ressurreição, e se redimiu ao Senhor. Pela compaixão e misericórdia do mestre, São Tomé foi perdoado.

Jesus, eu confio em Vós!

! Jesús, confio en Ti

Jesus, I trust in you!

Jésus j’ai confiance en vous!

Jezu, ufam Tobie!

 

Papa fala da misericórdia divina: carinho na ferida do pecado

 

A misericórdia de Deus foi o foco da reflexão da homilia do Papa Francisco, em Missa celebrada na segunda-feira, 7, na Casa Santa Marta. O Pontífice caracterizou a misericórdia divina como uma grande luz de amor e de ternura, um carinho de Deus nas feridas dos pecados do homem.

O Evangelho que fala da mulher adúltera que foi perdoada deu ao Papa a oportunidade de explicar o que é a misericórdia de Deus. Francisco recordou que o matrimônio é o símbolo e uma realidade humana da relação fiel do Senhor com o Seu povo, de forma que o adultério suja essa relação.

 

Na passagem evangélica, escribas e fariseus perguntam a Jesus o que fazer com aquela mulher adúltera (na época, a lei previa o apedrejamento), mas o fazem para ter motivo de acusá-Lo. “Se Jesus tivesse dito ‘sim, sim, sigam adiante com o apedrejamento’, teriam dito ao povo ‘este vosso mestre é tão bom, vejam o que ele fez com essa pobre mulher!’. E se Jesus tivesse dito: ‘Não, pobrezinha, perdoem-na!’, teriam dito que Ele não cumpria a lei”.

 

Diante da resposta de Jesus – “Quem dentre vós não tiver pecado, seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra”–, aquelas pessoas foram embora uma a uma, começando pelos mais velhos. Ao ficar sozinha com Jesus, a mulher reconheceu o seu pecado e Ele a perdoou. Segundo o Papa, nesta passagem, há algo que vai além do perdão.

 

“Jesus passa a lei e vai além. Não lhe diz: ‘Não é pecado o adultério!’. Não diz isso! Mas não a condena com a lei. E este é o mistério da misericórdia de Jesus. A misericórdia é algo difícil de entender”.

 

Francisco explicou que a misericórdia não apaga os pecados, pois quem faz isso é o perdão de Deus, mas é o modo como Deus perdoa. O Papa disse que Jesus poderia ter dito simplesmente “Eu te perdoo. Vá!”, mas opta por dizer “Vá em paz” e aconselha a mulher a não pecar mais.

 

“A misericórdia vai além, faz a vida de uma pessoa de tal modo que o pecado é colocado à parte. É como o céu. Nós olhamos para ele e vemos tantas estrelas, mas quando vem o sol, pela manhã, com tanta luz, não as vemos mais. Assim é a misericórdia divina: uma grande luz de amor, de ternura. Deus perdoa não com um decreto, mas com um carinho, acariciando as nossas feridas do pecado. É grande a misericórdia de Deus, é grande a misericórdia de Jesus. Ele nos perdoa e nos acaricia.”

CREDO

 

Creio em um só Deus Pai todo-poderoso, criador do céu e da terra de todas as coisas visíveis e invisíveis.

 

Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigênito de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos; Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro; gerado, não criado, consubstancial ao Pai.

 

Por ele todas as coisas foram feitas. E por nós, homens, e para nossa salvação, desceu dos céus e se encarnou pelo Espírito Santo, no seio da Virgem Maria, e se fez homem. Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; padeceu e foi sepultado.

 

Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras, e subiu aos céus, onde está sentado à direita do Pai. E de novo há de vir, em sua glória, para julgar os vivos e os mortos; e o seu reino não terá fim.

 

Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a vida, e procede do Pai e do Filho; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: Ele falou pelos profetas.

 

Creio na Igreja, una, santa, católica e apóstolica. Professo um só batismo para a remissão dos pecados. E espero a ressurreição dos mortos e vida do mundo que há de vir. Amém. 

 

Os professores que desejem colaborar na Procissão de Maio ( May.10) contactar Michel Borges e Catarina Raposo.

Festa da Primavera

Coro de Crianças

Para a Festa de Nossa Senhora de Fátima

1º Ensaio - Quarta- feira Igreja 4.45 pm

Será orientado por uma professora de música Canadiana!

LEITURA – Act 4,32-35 - Leitura dos Actos dos Apóstolos

 

A multidão dos que haviam abraçado a fé tinha um só coração e uma só alma; ninguém chamava seu ao que lhe pertencia, mas tudo entre eles era comum. Os Apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus com grande poder e gozavam todos de grande simpatia. Não havia entre eles qualquer necessitado, porque todos os que possuíam terras ou casas vendiam-nas e traziam o produto das vendas, que depunham aos pés dos Apóstolos. Distribuía-se então a cada um conforme a sua necessidade. Palavra do Senhor

 

 

Salmo: Aclamai o senhor, porque Ele é bom: o seu amor é para sempre.

1.Diga a casa de Israel: /é eterna a sua misericórdia. Diga a casa de Aarão: /é eterna a sua misericórdia. Digam os que temem o Senhor: /é eterna a sua misericórdia.

2.A mão do Senhor fez prodígios, /A mão do Senhor foi magnífica. /Não morrerei, mas hei-de viver, /para anunciar as obras do Senhor. /Com dureza me castigou o Senhor, /mas não me deixou morrer.

3.A pedra que os construtores rejeitaram /tornou-se pedra angular. /Tudo isto veio do Senhor: /é admirável aos nossos olhos. /Este é o dia que o Senhor fez: /exultemos e cantemos de alegria.

 

 

LEITURA II – 1 Jo 5,1-6 - Leitura da Primeira Epístola de São João

Caríssimos: Quem acredita que Jesus é o Messias, nasceu de Deus, e quem ama Aquele que gerou amatambém Aquele que nasceu d’Ele. Nós sabemos que amamos os filhos de Deus quando amamos a Deus e cumprimos os seus mandamentos, porque o amor de Deus consiste em guardar os seus mandamentos. E os seus mandamentos não são pesados, porque todo o que nasceu de Deus vence o mundo. Esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé. Quem é o vencedor do mundo senão aquele que acredita que Jesus é o Filho de Deus? Este é o que veio pela água e pelo sangue: Jesus Cristo; não só com a água, mas com a água e o sangue. É o Espírito que dá testemunho, porque o Espírito é a verdade. Palavra do Senhor

EVANGELHO – Jo 20,19-31 -Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

 

Na tarde daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas as portas da casa onde os discípulos se encontravam, com medo dos judeus, veio Jesus, colocou-Se no meio deles e disse-lhes: «A paz esteja convosco». Dito isto, mostrou-lhes as mãos e o lado. Os discípulos ficaram cheios de alegria ao verem o Senhor. Jesus disse-lhes de novo: «A paz esteja convosco. Assim como o Pai Me enviou, também Eu vos envio a vós». Dito isto, soprou sobre eles e disse-lhes: «Recebei o Espírito Santo: àqueles a quem perdoardes os pecados ser-lhe-ão perdoados; e àqueles a quem os retiverdes serão retidos». Tomé, um dos Doze, chamado Dídimo, não estava com eles quando veio Jesus. Disseram-lhe os outros discípulos: «Vimos o Senhor». Mas ele respondeu-lhes: «Se não vir nas suas mãos o sinal dos cravos, se não meter o dedo no lugar dos cravos e a mão no seu lado, não acreditarei». Oito dias depois, estavam os discípulos outra vez em casa, e Tomé com eles. Veio Jesus, estando as portas fechadas, apresentou-Se no meio deles e disse: «A paz esteja convosco». Depois disse a Tomé: «Põe aqui o teu dedo e vê as minhas mãos; aproxima a tua mão e mete-a no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente». Tomé respondeu-Lhe: «Meu Senhor e meu Deus!» Disse-lhe Jesus: «Porque Me viste acreditaste: felizes os que acreditam sem terem visto». Muitos outros milagres fez Jesus na presença dos seus discípulos, que não estão escritos neste livro. Estes, porém, foram escritos para acreditardes que Jesus é o Messias, o Filho de Deus, e para que, acreditando, tenhais a vida em seu nome. Palavra da Salvação 

 

ANIVERSARIOS DE BATISMO:

@ Nesta Semana; de 13 a 19 Abril receberam o Batismo na nossa Igreja ( Our lady of Fatima ):

 

14. Cassandra Elisabeth Lindo;

15. Mia Isaura Rodrigues;

16. Rachel Alexandria do Rego;

16. Cory Pacheco Medeiros;

17. Miguel Pedro Almeida Campbell;

18. Andrew Massa falcão;

18. Leandra Dorathy Braga;

18. Tanya Cunha Evaristo;

19. Diogo José Luz;

 

Eucaristia Sunday: 10am - 19.04.2015   

Leitores do Domingo: (18 a 19 Abril de 2015 ) :

Sb 5.30 pm= 10 am =

 

 

FIRST READING (Acts 4.32-35):A reading from the Acts of the Apostles

 

THE whole group of those who believed were of one heart and soul, and no one claimed private ownership of any possessions, but everything they owned was held in common. With great power the Apostles gave their testimony to the resurrection of the Lord Jesus, and great grace was upon them all. There was not a needy person among them, for as many as owned lands or houses sold them and brought the proceeds of what was sold. They laid it at the Apostles’ feet, and it was distributed to each as any had need. —The word of the Lord. R. Thanks be to God.

 

 

 

RESPONSORIAL PSALM:

 

Give thanks to the Lord for he is good; his steadfast love endures forever.

1Let Israel say,/“His steadfast love endures forever.”/Let the house of Aaron say,/“His steadfast love endures forever.”/Let those who fear the Lord say,/“His steadfast love endures forever.” R.

2.“The right hand of the Lord is exalted;/the right hand of the Lord does valiantly.” /I shall not die, but I shall live,/and recount the deeds of the Lord./The Lord has punished me severely,/but he did not give me over to death. R.

3.The stone that the builders rejected/ has become the chief cornerstone./This is the Lord’s doing; /it is marvellous in our eyes,/ This is the day that the Lord has made; /let us rejoice and be glad in it. R.

 

 

SECOND READING (1 John 5.1-6):A reading from the first letter of John

 

BELOVED: Everyone who believes that Jesus is the Christ has been born of God, and everyone who loves the parent loves the child. By this way we know that we love the children of God, when we love God and obey his commandments. For the love of God is this, that we obey his commandments. And his commandments are not burdensome, for whatever is born of God conquers the world. And this is the victory that conquers the world, our faith. Who is it that conquers the world but the one who believes that Jesus is the Son of God? This is the one who came by water and blood, Jesus Christ, not with the water only but with the water and the blood. And the Spirit is the one that testifies, for the Spirit is truth. —The word of the Lord. R. Thanks be to God.

GOSPEL (Jn. 20.19-31):A reading from the holy gospel according to John

 

IT was evening on the day Jesus rose from the dead, the first day of the week, and the doors of the house where the disciples had met were locked for fear of the Jewish authorities. Jesus came and stood among them and said, “Peace be with you.” After he said this, he showed them his hands and his side. Then the disciples rejoiced when they saw the Lord. Jesus said to them again, “Peace be with you. As the Father has sent me, so I send you.” When he had said this, he breathed on them and said to them, “Receive the Holy Spirit. If you forgive the sins of any, they are forgiven them; if you retain the sins of any, they are retained.” But Thomas, who was called the Twin, one of the twelve, was not with them when Jesus came. So the other disciples told him, “We have seen the Lord.” But he said to them, “Unless I see the mark of the nails in his hands, and put my finger in the mark of the nails and my hand in his side, I will not believe.” After eight days his disciples were again in the house, and Thomas was with them. Although the doors were shut, Jesus came and stood among them and said, “Peace be with you.” Then he said to Thomas, “Put your finger here and see my hands. Reach out your hand and put it in my side. Do not doubt but believe.” Thomas answered him, “My Lord and my God!” Jesus said to him, “Have you believed because you have seen me? Blessed are those who have not seen and yet have come to believe.” Now Jesus did many other signs in the presence of his disciples, which are not written in this book. But these are written so that you may come to believe that Jesus is the 

Messiah, the Son of God, and that through believing you may have life in his name. —The gospel of the Lord. R. Praise to you Lord

 

 

APOSTLE'S CREED:

 

I believe in God, the Father almighty, creator of heaven and earth, and in Jesus Christ, his only Son, our Lord, who was conceived by the Holy Spirit, born of the Virgin Mary, suffered under Pontius Pilate, was crucified, died, and was buried. He descended into hell; on the third day he rose again from the dead; He ascended into heaven, and is seated at the right hand of the Father almighty; from there He will come to judge the living and the dead. I believe in the Holy Spirit, the holy catholic Church, the communion of saints, the forgiveness of sins, the resurrection of the body, and life everlasting. Amen.

Domingo da Divina Misericórdia


 

São João Paulo II, em 30 de abril do ano 2000, instituiu a Festa da Divina Misericórdia para toda a Igreja, decretando que a partir de então o segundo Domingo da Páscoa passasse a se chamar Domingo da Divina Misericórdia, tal como foi inspirado à Santa Faustina: “Eu desejo que haja a Festa da Misericórdia. Quero que essa Imagem, que pintarás com o pincel, seja benzida solenemente no primeiro domingo depois da Páscoa, e esse domingo deve ser a Festa da Misericórdia” (Diário, 49; cf. 88; 280; 299b; 458; 742; 1048; 1517).

 

Entre os anos 1931-1938, Santa Faustina foi inspirada para introduzir esta festa. Ela foi uma freira polonesa que recebeu a mensagem de misericórdia para toda a humanidade, introduzindo algumas novas formas devocionais que pretendem auxiliar e impulsionar o cristão a se aproximar, com confiança, mais e mais do mistério da Divina Misericórdia – o terço, a novena, a hora santa, a imagem da Divina Misericórdia, e uma nova celebração litúrgica: a Festa da Divina Misericórdia.

 

Neste ano, na véspera da Solenidade da Festa do Domingo da Misericórdia, o Papa Francisco vai divulgar a Bula de convocação para a Igreja celebrar o Ano Santo da Misericórdia, colocando as várias possibilidades possíveis para vivermos este tempo de graça.

 

O fundamento da mensagem da Divina Misericórdia é a confiança. Somos como vasos de misericórdia, e o quanto de misericórdia estes vasos irão armazenar e distribuir para os outros depende da nossa confiança. E a confiança requer conversão do nosso coração e de nossa alma para entendermos a Misericórdia de Deus, para sermos misericordiosos com os outros e para deixarmos Deus dirigir nossa vida.

Em Provérbios 3,5 está escrito: "Tem confiança no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes na tua prudência”. Confiar em Deus é fácil quando as coisas vão bem, contudo, em tempos de provação, sofrimento, dúvida, fraqueza e ansiedade começamos a imaginar "onde está Deus"? "Ele realmente existe?" Se rezamos e acreditamos que estamos fazendo a Sua vontade, então nós devemos pedir por força e firmeza na fé.

 

A confiança é a chave para se viver a mensagem da Divina Misericórdia. Quando nossa fé for testada em tempos de provação e sofrimento, reflitamos no que diz o Diário de Santa Faustina: "Quanto mais a alma confiar, tanto mais receberá" (Diário da Santa Faustina, 1577).

 

  • Em Mateus 11, 28-30 está preconizado: "Vinde a mim todos os que estais fatigados e carregados, e eu os aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim que sou manso e humilde de coração, e achareis descanso para as vossas almas, porque o meu jugo é suave, e o meu peso é leve".

 

 

Estas provações na vida nos dão oportunidades de rever nossa fé e frequentemente nos forçam a questionar nossa relação com Deus. Santa Faustina escreveu: "Deus às vezes permite coisas estranhas, mas isso acontece sempre para que se manifeste na alma a virtude" (Diário, 166). O sofrimento tem sempre um propósito, assim como ensinou o Apóstolo São Paulo: “Porque o que presentemente é para nós uma tribulação momentânea e ligeira produz em nós um peso eterno de uma sublime e incomparável glória, não atendendo nós às coisas que se veem, mas sim às que se não veem" (2Cor 4, 17-18).

 

 

Neste Domingo da Divina Misericórdia somos chamados a renovar a nossa fé, como o apóstolo São Tomé. Esta fé, no entanto, não é uma fé genérica. Devemos crer na misericórdia que se manifesta no Mistério Pascal: paixão, morte e ressurreição. Santa Faustina escreve que os demônios sabem de outros atributos de Deus, mas a misericórdia é uma característica na qual eles não conseguem crer.

 

Dessa necessidade de atualizar o anúncio da misericórdia de Deus é que vem a instituição da festa da Divina Misericórdia. Nela, os pecadores devem se aproximar com confiança do Coração Misericordioso que nos lava de nossos pecados (raio de luz branca – água) e nos imerge no amor de Deus (raio de luz vermelha – sangue). Esses sinais nos recordam o lado aberto de Jesus que jorrou sangue e água quando perfurado pela lança no alto da cruz. E também é o anúncio do nascimento da Igreja e o símbolo dos sacramentoas do Batismo e da Eucaristia.

 

São João Paulo II, seguindo as inspirações de Santa Faustina, não somente instituiu a festa, mas concedeu indulgência plenária aos fiéis neste Domingo: “Concede-se a Indulgência Plenária nas habituais condições (Confissão sacramental, Comunhão Eucarística e orações segundo a intenção do Sumo Pontífice) ao fiel que no segundo Domingo de Páscoa, ou seja, da "Misericórdia Divina", em qualquer igreja ou oratório, com o espírito desapegado completamente da afeição a qualquer pecado, também venial, participe nas práticas de piedade em honra da Divina Misericórdia, ou pelo menos recite, na presença do Santíssimo Sacramento da Eucaristia, publicamente exposto ou guardado no Tabernáculo, o Pai-Nosso e o Credo, juntamente com uma invocação piedosa ao Senhor Jesus Misericordioso. (Por ex.: "Ó Jesus Misericordioso, confio em Ti")”. (Decreto da Penitenciaria Apostólica). 

 

Que esta Festa nos ajude a nos prepararmos para a abertura do Ano Santo Extraordinário sobre a Misericórdia, a ser inaugurado em 08 de dezembro do corrente ano. O Papa Francisco chama sempre a atenção a vivermos a misericórdia divina. Não só em palavras, mas em ações concretas. O Jubileu da Misericórdia procura ressaltar ainda a importância e a continuidade do Concílio Vaticano II, concluído há exatos 50 anos. A misericórdia é um dos temas mais importantes no pontificado do Papa Francisco, que, já como bispo escolheu como lema próprio “miserando atque eligendo”, que pode traduzir-se como: “Olhou-o com misericórdia e o escolheu”, ou “Amando-o, Ele o escolheu”.

Caro amigo(a)

 

Apelamos à sua generosidade neste momento em que vamos entrar em obras, para que possamos dar a todos o máximo de  condições na Paróquia de Nossa Senhora de Fátima

Clique em baixo para saber mais